Estratégias no Mercado de Bens Simbólicos do Turismo: O Segmento Single

Roberto Bazanini, Ademir Antonio Ferreira, Celso Machado, Gracy Giradelli

Resumo


O segmento “single” é uma das mais fortes tendências do mercado turístico atualmente e tem sido alvo de programas especiais das empresas do setor de turismo. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios realizada pelo IBGE em 2011 revelou que há 48,1% de solteiros na população brasileira com mais de 15 anos de idade. Este grupo representa o mercado potencial para esse segmento, desde que filtrado por variáveis socioeconômicas, culturais e educacionais. Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada com quatro empresas do setor de turismo (agências e operadoras) da cidade de São Paulo, que realizam programas de viagens especiais para o segmento de pessoas que viajam sozinhas. O foco principal da pesquisa foi o de avaliar, se na percepção dos dirigentes dessas empresas, existia vantagem competitiva ao se especializar nas necessidades e anseios de um segmento específico do mercado. Procurou-se explorar nas entrevistas e levantamento de dados junto às empresas, o perfil do turista “single”, a sua motivação e expectativas, assim como a estratégia adotada e as atividades desenvolvidas pela empresa para atendê-los. Constatou-se que as empresas que optaram por segmentar seu mercado para o turismo “single” geralmente o fizeram por perceber a existência de um nicho latente a ser explorado, mas somente a empresa que adota a concentração de mercado nesse segmento obtém vantagem competitiva.

 


Palavras-chave


Palavras-chave: turismo single, segmentação de mercado, vantagem competitiva.

Referências


Angotti, A. R. (2002) Os novos complexos turísticos. Revista Viagem e Turismo. Editora Abril. São Paulo.

Beni, M. C. (1998) Análise estrutural do turismo. São Paulo. SENAC.

Bacal, S. S. (1984) Pressupostos do Comportamento Turístico: influências psicológicas, socioculturais e econômicas. Escola de Comunicações e Artes USP. Tese de Doutorado.

Cortés‐Jiménez, I. (2008). Which type of tourism matters to the regional economic growth? The cases of Spain and Italy. International Journal of Tourism Research, 10(2), 127-139.

Dede, A. (2013). An Exploration of the Motivating Cultural Experience Factors That Determine a Holiday Destinations’ Selection and Respective Competitiveness. SAGE Open, 3 (4), 67-89.

Elliot, S., & Choi, H. S. (2011). Motivational Considerations of the New Generations of Cruising. Journal of Hospitality and Tourism Management,18(01), 41-47.

Ferreira, A. B. H. (1986) Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Editora Nova Fronteira. Rio de Janeiro

Hame, L. G., Prahalad, C. K. (1995). Competindo pelo futuro: estratégias inovadoras para obter o controle do seu setor e criar mercados para o amanhã. Rio de Janeiro: Campus.

Hoeller, E. H. (2002) Turismo de incentivos.In Ansarah, M. G. R. (Org.). Turismo - segmentação de mercado. São Paulo: Futura.

Instituto Brasileiro de Geografia, & Estatística (ibge). (2011) Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro.

Instituto Brasileiro de Geografia, & Estatística (ibge) (2010). Censo Demográfico – Características da População e dos Domicílios. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro.

Ignarra, L. R. (2001) Fundamentos do turismo. São Paulo: Pioneira.

Kotler, P.(2000) Administração de Marketing 10 ed. A edição do novo milênio. São Paulo: Prentice Hall.

Lage, B. H. G. (1992) Segmentação do mercado turístico. Turismo em análise, v. 3, nº 2, nov. ECA/USP. São Paulo.

Lage, B. H. G.; Milone, P. C. (2001) Economia do turismo. São Paulo. Atlas.

McCarthy, E. J. (1982) Marketing. Rio de Janeiro. Campus.

Ministério de Turismo (mtur). (2012a). Turismo já representa 3,7% do PIB. Ministério do Turismo, Brasília. Disponível em http://www.turismo.gov.br/turismo/noticias/todas_noticias/20121010-2.html. Acesso em 15/01/2013.

Ministério de Turismo (mtur). (2012b) Financiamentos para o Turismo crescem 38% em 2012. Ministério do Turismo. Brasília. Disponível em

http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/dadosefatos/geral_interna/noticias/detalhe/20120723.html. Acesso em 15/01/2013

Moraes, C. C. A. (2002) Turismo para single: uma segmentação em crescimento. In Ansarah, M. G. R. (org.). Turismo - Segmentação de mercado. São Paulo. Futura

Organização Mundial de Turismo (omt). (1978). A imagem turística, estudo elaborado como atrativo especial de programa: promoção e comércio turístico.

Organização Mundial de Turismo (omt). (2003) Organização Mundial do Turismo. Turismo Internacional: uma perspectiva global. 2 ed. Porto Alegre. Bookman.

Porter, M. E. (1990) Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus.

_________(1999) Competição (on competition): estratégias competitivas essenciais. Rio de Janeiro: Campus.

Smith, W. R. (1956, june) Product differentiation and marketing segmentation as alternative marketing strategies. American Marketing Association. Journal of Marketing, 21, 3-8.

Zaccarelli, S. B. (2000) Estratégia e sucesso nas empresas. São Paulo. Saraiva.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000