Patrocínio Esportivo: Perspectivas do Envolvimento, Identificação e Prestígio entre Fãs e Equipe

Fabricia Durieux Zucco, Leonel Cezar Rodrigues, Nilva Kock, Valéria Riscarolli

Resumo


O patrocínio é considerado o principal investimento no contexto do marketing esportivo, visto como um meio de comunicação capaz de impactar significativamente o público-alvo. Neste contexto, o presente estudo tem como objetivo construir e testar empiricamente um modelo que explique os fatores que influenciam a percepção do patrocínio nos fãs do esporte. Para isso, realizamos um survey com 172 torcedores de um time de futebol de salão (futsal) da mais alta divisão do futsal brasileiro. Os resultados permitem construir um modelo suficientemente robusto que explica como a identificação do torcedor com sua equipe ou esporte influencia a decisão de patrocínio. Este artigo contribui para o aprofundamento da teoria do marketing esportivo pela validação empírica de um modelo teórico. Também contribui para a práxis gerencial em gestão de esportes com novas informações acerca do efetivo patrocínio do esporte.


Palavras-chave


gestão de esporte; patrocínio esportivo; decisão de patrocínio; marketing esportivo

Referências


Afif, A. (2000). A bola da vez: o marketing esportivo como estratégia de sucesso. São Paulo: Infinito.

Alba, G. Os efeitos do orgulho nos torcedores de futebol : uma perspectiva de marketing. Dissertação de Mestrado—[s.l.] UFRGS, 2012.

Blackwell, R. & Miniard, P. W. Engel. J. (2005). Comportamento do consumidor. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

Caballero, N. (2014). A Co-Gestão como Administradora do Patrocínio Esportivo no Brasil: Uma Análise dos Casos Palmeiras-Parmalat e Fluminense Unimed-Rio. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 3(3), 36-44.

de Almeida C. (2007). O Impacto do Patrocínio Esportivo no Consumidor: Um Modelo para Mensuração de sua Efetividade (Tese de doutorado, PUC-Rio).

de Almeida, R. & dos Reis, D. (2015). Análise da Relação do Patrocínio Esportivo entre Clube e Empresa no Futebol Brasileiro. Tecnologias de Administração e Contabilidade. 5(2), 1 – 20.

Escobar, M. N. (2002). Patrocínio esportivo e seus efeitos sobre o valor da marca: um estudo exploratório no Brasil. Um Estudo Exploratório no Brasil. 2002. (Dissertação de mestrado - EAESP-FGV).

Fagundes, A. F. A., Veiga, R. T., Sampaio, D. D. O., & Sousa, C. V. (2012). A publicação acadêmica de marketing esportivo no brasil. Revista Brasileira de Marketing. 11(2), 96-123.

Faul, F., Erdfelder, E., Lang, A.-G., & Buchner, A. (2007). G*Power 3: A flexible statistical power analysis program for the social, behavioral, and biomedical sciences. Behavior Research Methods, 39, 175-191

Faul, F., Erdfelder, E., Buchner, A., & Lang, A.-G. (2009). Statistical power analyses using G*Power 3.1: Tests for correlation and regression analyses. Behavior Research Methods, 41, 1149-1160.

Gwinner, K., & Swanson, S. (2003). A model of fan identification: Antecedents and sponsorship outcomes. Journal of services marketing,17(3), 275-294.

Marques, R. (2013). Envolvimento e interações sociais no comportamento de compra dos torcedores de clubes de futebol (Dissertação de Mestrado – UFPR).

Meenaghan, T. (2001). Understanding sponsorship effects. Psychology & Marketing, 18(2), 95-122.

Melo, F. (1995). Marketing esportivo. Rio de Janeiro: Record,1, 995.

Minadeo, R. (2008). Gestão de marketing: fundamentos e aplicações. São Paulo: Atlas, 19.

Morgan, M. J., & Summers, J. (2008). Marketing esportivo. Thomson Learning.

Mullin, B. J., Hardy, S., & Sutton, W. A. (2004). Marketing esportivo. Artmed.

Mullins, J.W. and Walker Jr, O.C. (2010). Marketing Management – A strategic decision making approach. New York: McGraw Hill/Irwin.

Ottoni, J. E., & Montagner, P. C. Reflexões sobre metodologias de mensuração do retorno do investimento no esporte de competição a partir das contribuições teóricas publicadas. EFdeportes. 10(77).

Pitts, B. G., & Stotlar, D. K. (2002). Fundamentos de marketing esportivo. Porte.

Rezende, E. (2013). Patrocínio esportivo no Brasil movimenta R$ 665 milhões. Disponível em: < http://exame.abril.com.br>. Acesso em: 24 mai. 2014.

Ringle, C. M., Da Silva, D., & Bido, D. D. S. (2014). Modelagem de equações estruturais com utilização do SmartPLS. Revista Brasileira de Marketing, 13(2), 56-73.

Smith, A. C., & Stewart, B. (2007). The travelling fan: Understanding the mechanisms of sport fan consumption in a sport tourism setting. Journal of sport & tourism, 12(3-4), 155-181.

Solomon, M. R. (2002). Comportamento do Consumidor: Comprando.Possuindo e Sendo. São Paulo: Bookman.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.