O Impacto do Desempenho do Time na Presença de Torcedores no Estádio de Futebol

Gustavo da Rosa Borges, Jonas Petry

Resumo


Clubes de futebol atualmente possuem diversas formas de arrecadação. Uma delas, e talvez a mais tradicional, é a bilheteria, que representa quanto o clube arrecada em vendas de ingressos. Diante dessa importância, diversos clubes têm trabalhado visando ao aumento no número de torcedores em seus jogos, objetivando, principalmente, a obtenção de uma maior receita. A teoria tem apontado alguns determinantes que influenciam na presença do torcedor no estádio, e entre eles está o desempenho do time, mais especificamente os resultados em partidas anteriores. Embora essa seja uma afirmação teórica, percebeu-se uma carência de trabalhos que buscaram mensurar, na prática, se de fato o desempenho do time do campeonato em partidas anteriores influencia na quantidade de torcedores no estádio. Buscando preencher essa lacuna, o presente estudo investigou se o desempenho em partidas anteriores influencia no público de jogos de clubes da Série B do campeonato Brasileiro de 2013. Analisando os relatórios de público divulgados no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e comparando com a colocação dos clubes no campeonato por meio de regressão, constatou-se que a colocação do clube (desempenho da equipe) não influencia a quantidade de torcedores na maioria dos clubes investigados. Constatou-se, ainda, por meio de Teste-T, que, para a maioria dos clubes, existe diferença de público quando seu clube recebe um grande adversário em comparação a adversários similares. As contribuições teóricas e gerenciais são comentadas ao longo do trabalho.

Palavras-chave


Desempenho do time; Quantidade de torcedores no estádio; Comportamento do Torcedor

Referências


Andreff, W. (2007). French Football a Financial Crisis Rooted in Weak Governance. Journal of Sports Economics, 8(6), 652-661.

Andreff, W., & Staudohar, P. D. (2000). The evolving European model of professional sports finance. Journal of Sports Economics, 1(3), 257-276.

Ascari, G., & Gagnepain, P. (2006). Spanish football. Journal of Sports Economics, 7(1), 76-89.

Bastos, C. F. (2003). Administração Esportiva: área de estudo, pesquisa e perspectivas no Brasil. Motrivivência, (20-21), 295-306.

Barajas, Á., & Rodríguez, P. (2010). Spanish football clubs' finances: Crisis and player salaries. International Journal of Sport Finance, 5(1), 52.

Baroncelli, A., & Lago, U. (2006). Italian football. Journal of Sports Economics, 7(1), 13-28.

Bauer, H. H., Stokburger-Sauer, N. E., & Exler, S. (2008). Brand image and fan loyalty in professional team sport: A refined model and empirical assessment. Journal of Sport Management, 22(2), 205.

Bee, C. C., & Havitz, M. E. (2010). Exploring the relationship between involvement, fan attraction, psychological commitment and behavioural loyalty in a sports spectator context. International Journal of Sports Marketing and Sponsorship, 11(2), 37-54.

Bisquerra, R., Sarriera, J. C., & Matínez, F. (2009). Introdução à estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Bookman Editora.

Braga, B., & Guillén, D. (2012). Working under pressure: Evidence from the impacts of soccer fans on players’ performance. Economics Letters, 114(2), 212-215.

CBF – Confederação Brasileira de Futebol (2013). Disponível em: http:// http://www.cbf.com.br/. Acesso em: 12 dez. 2013.

Costa, C., & Gonçalves, J. (2007). "Empresarização" e controle: o caso do Figueirense Futebol Clube. Cadernos EBAPE. BR, (3), 9-a.

Day, G. S. A. (1969). Two-Dimensional Concept of Brand Loyalty. Journal of Advertising Research, 9, 29-36.

Depken, C. A. (2001). Fan Loyalty in Professional Sports an Extension to the National Football League. Journal of Sports Economics, 2(3), 275-284.

Dick, A. S., & Basu, K. (1994). Customer loyalty: toward an integrated conceptual framework. Journal of the Academy of Marketing Science, 22(2), 99-113.

Dietl, H. M., & Franck, E. (2007). Governance failure and financial crisis in German football. Journal of Sports Economics.

Doyle, J. P., et al. (2016). ‘I was there from the start’: The identity-maintenance strategies used by fans to combat the threat of losing. Sport Management Review, Article in Press.

East, R., Gendall, P., Hammond, K., & Lomax, W. (2005). Consumer loyalty: singular, additive or interactive? Australasian Marketing Journal (AMJ), 13(2), 10-26.

Ferreira, B. R. T., & de Souza Leão, A. L. M. (2016). Uma Mudança em Andamento: a troca de "casa" da torcida do clube Náutico Capibaribe sob o olhar da casa e da rua de Roberto Damatta. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 3(1), 61-77.

Flecha, A. C., & Pontello, M. L. (2015). Comportamento do Torcedor do Futebol. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 4(2), 72-87.

Gaspar, M. A., Morais, D. M. G., Júnior, A. C. V., & Debia, C. A. (2014). Marketing Esportivo: Um Estudo das Ações Praticadas por Grandes Clubes de Futebol do Brasil. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 3(1), 12-28.

Costa, C., & Gonçalves, J. (2007). " Empresarização" e controle: o caso do Figueirense Futebol Clube. Cadernos EBAPE. BR, (3), 1-16.

González-Gómez, F., & Picazo-Tadeo, A. J. (2010). Can we be satisfied with our football team? Evidence from Spanish professional football. Journal of Sports Economics, 11(4), 418-442.

Grisaffe, D. (2001). Loyalty-attitude, behavior, and good science: A third take on the Neal-Brandt debate. Journal of Consumer Satisfaction, Dissatisfaction & Complaining Behavior, 14.

IGBE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: http://http://www.ibge.gov.br/. Acesso em: 05 jan. 2016.

Kaynak, E., Salman, G. G., & Tatoglu, E. (2008). An integrative framework linking brand associations and brand loyalty in professional sports. Journal of Brand Management, 15(5), 336-357.

Keller, K. L. (1993). Conceptualizing, measuring, and managing customer-based brand equity. The Journal of Marketing, 1-22.

Kerr, J. H., Wilson, G. V., Nakamura, I., & Sudo, Y. (2005). Emotional dynamics of soccer fans at winning and losing games. Personality and Individual Differences, 38(8), 1855-1866.

Kolbe, R., & James, J. D. (2000). An identification and examination of influences that shape the creation of a professional team fan. International Journal of Sports Marketing and Sponsorship, 2(1), 14-28.

Lago, U., Simmons, R., & Szymanski, S. (2006). The financial crisis in European football: an introduction. Journal of Sports Economics, 7(1), 3-12.

Lee, S., Heere, B., & Chung, K. S. (2013). Which senses matter more? The impact of our senses on team identity and team loyalty. Sport Marketing Quarterly, 22(4), 203.

Leoncini, M. P., & Silva, M. D. (2005). Entendendo o futebol como um negócio: um estudo exploratório. Gestão & Produção, 12(1), 11-23.

Neale, L. (2007). Toward a better understanding of uncommon loyalty (Doctoral dissertation, University of Western Australia).

Oliver, R. L. (1999). Whence consumer loyalty? The Journal of Marketing, (63), 33-44.

Proni, M. W. (2007). Marketing e Organização Esportiva: elementos para uma história recente do esporte-espetáculo. Conexões, 1(1).

Rein, I., Kotler, P., & Shields, B. (2008). Marketing Esportivo: A reinvenção do esporte na busca de torcedores. Bookman Editora.

Sharma, S. S. (1996). Applied Multivariate Techiques. John Wiley & Sons.

Silva, C. V. D. G. F., & Campos Filho, L. A. N. (2006). Gestão de clubes de futebol brasileiros: fontes alternativas de receita. Sistemas & Gestão, 1(3), 195-209.

Wu, S. H., Tsai, C. Y. D., & Hung, C. C. (2012). Toward team or player? How trust, vicarious achievement motive, and identification affect fan loyalty. Journal of Sport Management, 26(2), 177-191.

Zhang, X. X., Liu, L., Zhao, X., Zheng, J., Yang, M., & Zhang, J. Q. (2015). Towards a Three-Component Model of Fan Loyalty: A Case Study of Chinese Youth. PloS One, 10(4), e0124312.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.