Gestão do Esporte Militar no Brasil: Uma Análise Histórica do Primeiro Modelo de Gestão Adotado pela Liga de Sports da Marinha (1915-1919)

Karina Cancella, Leonardo Mataruna

Resumo


Nos estudos sobre gestão do esporte, pesquisadores têm afirmado que as ligas esportivas foram organizadas com objetivo de maximizar os lucros das entidades e regular o mercado esportivo. No entanto, este modelo explicativo pode não se aplicar a todas as ligas fundadas no Brasil ao longo do século XX. Como consequência da aproximação dos militares da prática esportiva, foram fundadas em 1915 a Liga Militar de Football, no Exército, e a Liga de Sports da Marinha (LSM) com função de organizar a participação dos militares no esporte. Este trabalho buscou identificar a estrutura organizacional adotada pela LSM por meio de uma pesquisa histórica e as análises realizadas demonstraram que a LSM não se enquadra nas características de liga com objetivo de maximização de lucros defendido pelos teóricos da economia do esporte, caracterizando-se como uma exceção a este modelo generalizante.

DOI: 10.5585/podium.v1i2.30


Palavras-chave


Forças Armadas; Ligas Esportivas; Gestão do Esporte.

Referências


Almeida, C. (1997). 100 Anos de FRERJ. Transcrição de palestra proferida no Clube Naval, por ocasião das comemorações do centenário da FRERJ. Rio de Janeiro: FRERJ.

Bougheas, S., & Downward, P. (2003). The Economics of Professional Sports Leagues Some Insights on the Reform of Transfer Markets. Journal of Sports Economics, 4 (2), 87–107.

Calado, C., & Ferreira, C. (2005).Análise de documentos: método de recolha e análise de dados. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Cancella, K. (2012). As Forças Armadas e os Jogos Esportivos do Centenário de 1922.In J. Malaia & V. Melo. (Org.). 1922 Celebrações Esportivas do Centenário (pp. 118-141). Rio de Janeiro: 7 Letras.

Cancella, K., & Mataruna, L. (2012a). Para o desenvolvimento physico do pessoal da Armada, institucionaliza-se o esporte: análises sobre as primeiras aproximações da Marinha do Brasil com as práticas esportivas e o processo de fundação da Liga de Sports da Marinha. Navigator, 8, 101-114.

Cancella, K., & Mataruna, L. (2012b). As Forças Armadas e o esporte: introdução de novas ferramentas para 'concorrer para o desenvolvimento physico do pessoal' e incorporar 'as melhores e mais salutares distracções'. Anais do Encontro de Historiadores Militares, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

CISM. Conseil International Du Sport Militaire - Sports.(2011).Recuperado em 22 julho, 2011, de http://www.cism-milsport.org/eng/003_SPORTS/000_menu_sports/000_menu_sport s. asp.

Dinces, S. (2005). Padres on Mount Olympus: Los Angeles and the Production of the 1932 Olympic Mega-Event. Journal of Sport History, 32 (2), 137-165.

Garrido, F., & Lage, A. (2005). O Esporte na Marinha do Brasil. In L. P. DaCosta (Org.). Atlas do Esporte do Brasil. Rio de Janeiro: Shape.

Garrido, F. (2007). A Regata Escola Naval: do lazer à performance, um grande espetáculo. In: Revista de Villegagnon – Revista Acadêmica da Escola Naval, 2 (2), 80-86.

Malaia, J. (2008). O processo de profissionalização do futebol no Rio de Janeiro: dos subúrbios à Zona Sul. A inserção de negros, mestiços e brancos pobres na economia da Capital Federal (1914-1923). Leituras de Economia Política, (13), 125-155.

Malaia, J. (2010).Revolução Vascaína: a profissionalização do futebol e a inserção sócio-econômica de negros e portugueses na cidade do Rio de Janeiro (1915-1934). Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em História Econômica, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Malaia, J. (2011). “Diplomacia do pé”: o Brasil e as competições esportivas sul-americanas de 1919 e 1922. Tempo e Argumento, 3 (2), 43-76.

Melo, V. (2010) Apontamentos para uma história comparada do esporte: um modelo heurístico. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, 24 (1), 107-120.

Melo, V., & Maia, P. (2005). Turfe. In L. P. DaCosta (Org.). Atlas do Esporte do Brasil (pp. 365-366). Rio de Janeiro: Shape.

Neale, W. (1964). The peculiar economics of professional sports: a contribution to the theory of the firm in Sporting competition and in Market competition. The quarterly journal of economics, 78 (1), 1-14.

Rio2011. (2011). 5º. Jogos Mundiais Militares do CISM –Modalidades.Recuperado em 22 julho, 2011, de http://www.rio2011.mil.br/index.php?option=com_content&view=article&id= 826&Itemid=2〈=pt.

Rottenberg, S. (1956)The Baseball Players Labor Market. The Journal of Political Economy.64 (3), 242-258.

Silva, C., & Melo, V. (2011). Fabricando o soldado, forjando o cidadão: o doutor Eduardo Augusto Pereira de Abreu, a Guerra do Paraguai e a educação física no Brasil.História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 18 (2), 337-353.

Vamplew, W. (2004). Pay Up and Play the Game: Professional Sport in Britain, 1875-1914.London: Paperback.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000