O Olimpismo: As Bases de um Pensamento Universal

Gabriel Cardoso

Resumo


O objetivo deste trabalho é problematizar e historicizar as bases do Olimpismo dentro das premissas da Academia Olímpica Internacional (AOI). O Olimpismo é um movimento que procura difundir os ideais olímpicos através da combinação do desporto com a cultura, a arte e a educação. Com o passar dos anos, críticas foram feitas ao Olimpismo como a involvência política nos Jogos Olímpicos, a exacerbação do nacionalismo, a comercialização acelerada, a discriminação racial e de género na arena Olímpica e os escândalos de corrupção dos membros do Comitê Olímpico Internacional. Apesar de todas as controvérsias, o Olimpismo é uma filosofia com inserção na sociedade contemporânea. O entendimento de tais valores e o impacto deles na sociedade são fundamentais para uma melhor gestão dos esportes olímpicos.

DOI: 10.5585/podium.v2i1.40


Palavras-chave


Olimpisimo; Academia Olímpica Internacional; Jogos Olímpicos; Filosofia; Gestão de Esportes Olímpicos.

Referências


Boutros-Ghali, Boutros (1995) The IOC and The United Nations. Olympic Review – Official Publication of the Olympic Movement 25(1), February-March 1995. Disponível em:

Acesso em 19 de maio de 2012.

Chatzietsfathiou, Dikaia (2005) The Changing Nature of the Ideology of Olympism in the Modern Olympic Era. Doctoral Thesis – Loughborough University. Disponível em: Acesso em 25 de maio de 2012.

Chatziefstathiou, D. and Henry, I. (2008) Olympism, governmentality and technologies of power. In: Barney, R.K., Heine, M., Warmsley, K. B. and MacDonald, G. H., eds. Pathways: Critiques and Discourse in Olympic Research. Ontario, Canada: International Centre for Olympic Studies. pp. 320-337.

Grupe, Ommo. (1997) Olympism is not a system, it is a state of mind. Olympic Review– Official Publication of the Olympic Movement, 27(13), p. 63-65. Disponível em:

Acesso em 08 de maio de 2012.

Hsu, Leo 2000 “Olympism: A Dead Ideal and a Western Product?” Proceedings in the Fifth International Symposium For OlympicResearch –“Bridging Three Centuries: Intellectual Crossroads and the Modern Olympic Movement”. pp. 249-255. Disponível em:

Acesso em 8 de maio de 2012.

Kidane, Fékrou (1995), The IOC and The United Nations. Olympic Review – Official Publication of the Olympic Movement” 25 (5), October-November 1995. Disponível em:

Acesso em 2 de maio de 2012.

Loland, Sigmund (1995), “Coubertin’s Ideology on Olympism from the Perspective of the History of Ideas”. Olympica: The International Journal of Olympic Studies, 4, 1995, pp. 49-78. Disponível em:

Acesso em 07 de maio de 2012.

Nanayakkara, Samantha (2008), “Olympism: A Western Liberal Idead That Ought Not to Be Imposed on Other Cultures?” In R. Barney, M. Heine, K. Wamsley & G. MacDonald (Ed), Pathways: Critiques and Discourse in Olympic Research. 9th International Symposium for Olympic research, (p 351-358). Ontario, University of Ontario. Disponível em:

Acesso em 06 de maio e 2012.

Paddick, Robert J. (1994), Amateurism: An Idea of the past or a necessity for the future? Olympika: The International Journal of Olympic Studies, 2, p. 1-15. Disponível em:

Acesso em 04 de maio de 2012.

Parry, Jim (2006) “Sport and Olympism; Universals and Multiculturalism”. Journal of the Philosophy of Sport. 33 (2), p. 188-204.

Parry, Jim (2003), “Olympism for the 21st century”. Centre d’Estudis Olímpics – Universitat Autònoma de Barcelona Novembro 2003. Disponível em: Acesso em 08 de maio de 2012.

Pires, Gustavo (2012), “Os cinco Pilares do Olimpismo”. O Primeiro de Janeiro, 21/12/2012. {http://www.oprimeirodejaneiro.pt/opj/diarias.asp?idioma=item_lingua1&cfg=0&item=1928&cat=Opini%E3o}


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.