O Papel da T.I na Gestão do Conhecimento: Estudo de Caso na Agência Clube Turismo em Natal/RN

Danielle de Almeida Rodrigues Smilay, Leilianne Michelle Trindade Barreto, Catiane Lopes Lima

Resumo


A Gestão do Conhecimento atrelada as Tecnologias da Informação no mercado atual cada vez mais disputado e exigente podem representar sinônimos de vantagem competitiva, mas para tal é necessário que a gestão estratégica de pessoas atue nos processos de participação dos colaboradores. Partindo da ideia de que o conhecimento surge dos indivíduos inicialmente, o objetivo dessa pesquisa é analisar como acontecem as conversões de conhecimento dentro de uma organização de serviços turísticos por meio das tecnologias da informação, utilizando-se como base o modelo da Espiral do Conhecimento de Takeuchi e Nonaka. Aplicou-se um questionário junto aos colaboradores de uma franquia da empresa Clube Turismo em Natal/RN, com questões moldadas aos processos conceituais da Espiral do Conhecimento. Como resultado foi constatada a participação de ferramentas de T.I. nos processos de conversão de Socialização e Internalização de maneira mais acentuada que nos processos de Combinação e Externalização, mas que ainda há um molde voltado às ferramentas tradicionais de comunicação.


Palavras-chave


Gestão do Conhecimento. Espiral do Conhecimento. Tecnologia da Informação.

Referências


Barreto, L. M. T. S. (2011). Estratégias de gestão de pessoas e desempenho organizacional na hotelaria: o papel das capacidades organizacionais. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Calvo-Mora, A., Navarro-García, A., & Periañez-Cristobal. (2015) Project to improve knowledge management and key business results through the EFQM excellence model. International Journal of Project Management, 33(8), 1638–1651.

Castells, M. (1999). A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra.

Chan, Y., & Lee, S. (2007) Capabilities, processes, and performance of knowledge management: a structural approach. Human Factors and Ergonomics in Manufacturing, 17(1), 21-41.

Chaparro-Peláez, J., Agudo-Peregrina, A. F., & Pascual-Miguel, F. J. (2016) Conjoint analysis of drivers and inhibitors of e-commerce adoption. Journal of Business Research, 69(4), 1277–1282.

Cooper, C. (2003). Turismo: princípios e prática. (2a ed.) Porto Alegre, Bookman,

Cruz, J. A. W. (2011). Construção de indicadores de mensuração do capital Intelectual em uma empresa brasileira de consórcios. Revista Gestão Industrial, 7(1), 92 – 106.

Espírito Santo, A. (1992). Delineamentos de Metodologia científica. São Paulo: Loyola.

Figueiredo, S. P. (2005) Gestão do Conhecimento: estratégias competitivas para a criação e mobilização do conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Qualitymark,

Franzoni, A. M. B. (2007). Era do conhecimento: O novo perfil do profissional de turismo. In: Quevedo, Mariana (Org.). Turismo na era do conhecimento. Florianópolis: Pandion.

Gozzi, M. P. (2012) O processo de gestão do conhecimento em comunidades virtuais de aprendizagem. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 2(2), 3-14.

Marín, A. (2004). Tecnologia da informação nas agências de viagens: em busca da produtividade e do valor agregado. São Paulo: Aleph.

Mezghani, E, Exposito, E, & Drira, K. (2016) A collaborative methodology for tacit knowledge management: Application to scientific research. Future Generation Computer Systems, 54, 450–455.

Moraes, R. (1998). Uma experiência de pesquisa coletiva: Introdução à Análise do conteúdo. In: Grillo, M. C., & Medeiros, M. F (Orgs.) A construção do conhecimento e sua mediação metodológica. Porto Alegre: EDIPURCS.

Moraes, A. G. (2007). Tecnologia de informação nas agências de turismo: uma análise de como as agencias estão utilizando esse recurso para se manter competitiva. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 5(2), 163–173.

Nowacki, R., & Bachnik, K. (2016) Innovations within knowledge management. Journal of Business Research, 69(5), 1577–1581.

Nonaka, I., & Takeuchi, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus.

Oliveira Jr., M. M., Fleury, M. T. L., & Child, J. (2010). Compartilhando conhecimento em negócios internacionais: Um estudo de caso na indústria da propaganda. In: Fleury; M.T.L., & Oliveira Jr., M. M. (Orgs.) Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas.

Petrocchi, M., & Bona, A. (2003). Agências de Turismo: planejamento e gestão. São Paulo: Futura.

Probst, G., Raub, S., & Romhardt, K. (2002). Gestão do Conhecimento: os elementos construtivos do sucesso. Porto Alegre: Bookman.

Quevedo, M. (2007). Os impactos das tecnologias de informação e comunicação no turismo. In: Quevedo, M. (Org.). Turismo na era do conhecimento. Florianópolis: Pandion.

Sovienski, F., & Stigar, R. (2008). Recursos Humanos X Gestão de Pessoas. Gestão: Revista Científica de Administração e Sistemas de Informação, 10(10), 51-61.

Takeuchi, H., & Nonaka, I. (2008). Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman.

Teixeira Filho, J. (2000). Gerenciando conhecimento. Rio de Janeiro: SENAC.

Tomelim, C. A. (2001). Mercado de Agências de Viagens e Turismo: como competir diante das novas tecnologias: São Paulo: Aleph.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.