Cultura Organizacional e Gestão de Equipes de Alto Rendimento: Os Casos FC Barcelona, Sporting Club de Portugal e AFC Ajax

Ary José Rocco Júnior

Resumo


Em todo o mundo, a chamada Indústria do Esporte vêm experimentando vertiginoso crescimento financeiro. Com isso, o papel das agremiações esportivas adquiriu especial importância dentro da sociedade contemporânea global. A relevância do planejamento estratégico dessas organizações fez crescer a necessidade dos clubes esportivos investirem em estratégias que permitam o seu correto posicionamento no mercado e as suas conquistas no campo esportivo. A implantação e o desenvolvimento de uma cultura organizacional que permita o desenvolvimento de uma identidade do clube que agregue todos os seus stakeholders – atletas, torcedores, patrocinadores, marcas, investidores e outros -, é uma dessas estratégias. A criação estratégica e planejada de valores e princípios organizacionais que equilibrem resultados econômicos, mercadológicos e financeiros, com a performance esportiva, colabora para o desenvolvimento e implantação de uma cultura, que gera receita e traz conquistas no campo esportivo. O objetivo deste artigo é analisar três casos de sucesso – FC Barcelona, da Espanha; Sporting Club de Portugal; e, AFC Ajax, da Holanda -, de organizações esportivas que implantaram estratégias dessa natureza na Europa. Pretendemos, com isso, estimular agremiações esportivas do Brasil a adotarem estratégias semelhantes.


Palavras-chave


Cultura Organizacional; Equipes Esportivas; Gestão do Esporte; Identidade Clubística; Gestão de Marca.

Referências


Barthes, R. (2009). O que é o Esporte? In: Revista Serrote, no 3, São Paulo: Instituto Moreira Sales, novembro de 2009. 97-105.

Bol Notícias (2012). Daniel Alves comemora gol com dança, é repreendido e pede desculpas. Disponível em: . Recuperado em 30 de abril de 2012.

Bourdieu, P. (1983). Como é Possível ser Esportivo? In: Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero. 136-153.

Castelo, J. (2009). Futebol – organização dinâmica do jogo. Lisboa: Edições Lusófonas.

Cruyff, J (2012). Fútbol – mi filosofia. Barcelona: Grupo Zeta.

_______ (1974). Futebol Total. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Dias, R. (2012). Cultura Organizacional. 3ª ed. Campinas: Alinea.

_______(2000). Fundamentos da Sociologia Geral. 2a ed. Campinas: Alinea.

Dunning, E. & Sheard K. (2005). Barbarians, Gentleman & Players – a sociological study of the development of Rugby Football. 2nd Edition. New York: Routledge.

Dupuis, J. P. (1996) Antropologia, cultura e organizações: proposta de um modelo construtivista. In: Chanlat, J. F. (org). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas, v.III, São Paulo: Atlas.

ECA-The European Club Association (2013). Report on Youth Academies in Europe. Disponível em: . Recuperado em 04 de janeiro de 2014.

Elias, N. & Dunning, E. (1986). Deporte y Ocio en el Proceso de la Civilizacion. México DF: Fondo de Cultura Economico.

Eliot, T.S. (1988). Notas para uma Definição de Cultura. São Paulo: Perspectiva.

Eriksson, P. & Kovalainen, A. (2008). Qualitative Methods in Business Research. London: Sage.

Faccio, L. (2013). A Biografia de Lionel Messi. São Paulo: Generale.

Freitas, M. E. de. (2007) Cultura Organizacional – evolução e crítica. São Paulo: Cengage Learning.

Gioia, D.; Schultz, M.; Corley, K. (2000). Organizational identity, image and adaptive instability. In: The Academy of Management Review, n. 25, 1, 63-81.

Giulianotti, R. (1999). Sociologia do futebol – dimensões históricas e socioculturais do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria.

Hunter, G. (2012). Barça – the making of the greatest team in the world. London: BackPage Press.

Michels, R. (2001). Teambuilding – the road to success. Spring City: Reedswain Publishing.

Moita, M. R. (2008). Um percurso de sucesso na formação de jogadores em futebol – estudo realizado no Sporting Club de Portugal – Academia Sporting/Puma – Faculdade de Desporto, Universidade do Porto.

Moreno, O. P. C. (2012). El Modelo de Juego del FC Barcelona. Barcelona: Libreria Deportiva Fútbol.

Perarnau, M. (2011). Senda de Campeones – de La Masia al Camp Nou. Barcelona: Salsa Books.

Salvador, J. L. (2004). El Deporte en Occidente – historia, cultura y política. Madrid: Cátedra.

Soriano, F. (2010). A Bola não entra por acaso – estratégias inovadoras de gestão inspiradas no mundo do futebol. São Paulo: Larousse.

Victorino, V. (2013). Site coloca categorias de base de São Paulo e Santos entre as dez melhores do mundo. In: Época Negócios Online. Disponível em: . Recuperado em 04 de janeiro de 2014.

Wilson, J. (2013). Inverting The Pyramid – the history of soccer tactics. New York: Nation Books.

Winner, D. (2000). Brilliant Orange – the neurotic genius of Dutch football. London: Boomsbury.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.